Imagine passar uma vida toda sem olhar uma parte do seu corpo, sem falar sobre ela e até sentir vergonha disto?

Pode parecer estranho, mas é assim que a maioria das mulheres convivem com a sua vulva.

Mas quando começam a usar o coletor menstrual um novo universo de intimidade e autoconhecimento se abre. Se tocam, descobrem a altura do colo do útero, a intensidade do fluxo menstrual, e mais, descobrem que o sangue menstrual não tem mau cheiro.

Conhecendo o próprio corpo

A vulva compreende a região externa do órgão genital feminino: clitóris, lábios externos e internos, e a vagina é a interna: o canal que liga essa parte ao colo do útero.

O coletor menstrual é inserido no canal vaginal, não é preciso retirar o coletor menstrual para fazer xixi ou cocô, pois o canal vaginal é totalmente separado dos canais pelos quais saem a urina ou as fezes.

Intensidade do ciclo menstrual

 

Usar absorventes descartáveis faz parecer que temos muito fluxo menstrual, pois o algodão “incha”, ficando pesado e nos levando a pensar que é mais sangue do que realmente é, mas quando usamos o coletor menstrual podemos visualizar exatamente o volume de sangue sem nenhuma interferência na flora vaginal. O coletor Ecoabs® tem uma escala volumétrica e você consegue saber exatamente a quantidade em ml produzida de sangue a cada troca.

 

Cheiro

Nosso sangue menstrual, em condições saudáveis, não cheira mal. Tem apenas cheiro de sangue. O que causa o odor ruim é o contato dele com com substâncias como o gel de poliacrilato, rayon, poliéster, polietileno, polipropileno, celulose e fibras, que os absorventes descartáveis carregam.

Usar soluções para menstruação sustentável é uma oportunidade de melhorarmos a nossa relação com o nosso corpo.